O Rail Nation ao longo da História: 1ª parte

Prefácio:

O aspecto da casa das máquinas foi completamente revisto e agora reflecte cada era. Gostaríamos de aproveitar esta oportunidade para dar-te a conhecer a fascinante história da locomotiva.

Sobe a bordo, por favor!

Cuidado com os degraus. Pelo corredor, à esquerda. À direita está a porta para a tua cabine. Segue em frente, guarda a tua bagagem e senta-te. Está na hora de relaxar. Agora encosta-te, descansa a tua cabeça na almofada, estica as tuas pernas, coloca os teus braços nos apoios e olha pela janela. Agora, vamos começar a nossa jornada Rail Nation através da história.

Era 1:

Por volta de 1825 – 1925

A noite cai, mas não há escuridão. A luz ainda emana das fábricas onde grandes nuvens de fumo se elevam acima da cidade. A industrialização mudará a humanidade para sempre.

No nordeste de Inglaterra, entre Stockton e Darlington, em 1825, tem lugar o primeiro transporte de passageiros de sempre. É efectuado pela locomotiva chamada “Nº 1” na rota ferroviária iniciada por Edward Pease. Junto aos trilhos há aglomerados de pessoas maravilhadas e a aplaudir enquanto assistem a história a ser escrita.

Noutro canto do mundo, milhares encaminhavam-se para os rios para ver se tinham sorte nos recém descobertos campos de ouro. A corrida ao ouro do século XIX contagiou completamente os EUA.

A Dewitt Clinton é a primeira locomotiva americana programada, entrando em serviço em 1831 e viajando entre Albany e Schenectady a uma velocidade tremenda de 50 km/h. Os passageiros sentavam-se nos vagões tipo carruagem e em cima deles – uma tendência que não sobreviveu muito tempo devido à chegada das locomotivas alimentadas a vapor. Nesse mesmo ano, abre a primeira linha no continente europeu, Saint-Étienne – Lyon, em França.

Na Bélgica, a primeira locomotiva a vapor entra em serviço entre Bruxelas e Mechelen em 1835. Pouco depois, é construída uma rede ferroviária nacional, que é considerada, até meados do século XIX, a mais densa rede ferroviária no continente. Também nasce a nossa mais antiga locomotiva, a Eagle (Águia).

Após a Gerra Civil Americana, a indústria ferroviária torna-se a segunda maior indústria na América. Pessoas como Edward Henry Harriman ou Cornelius Vanderbit erguem-se enquanto magnatas ferroviários. Uma das locomotivas mais prevalecentes desta era é a USARA 0-6-0.

Era 2:

Por volta de 1920 – 1950

O século XX começa com um terrível estrondo: a Primeira Guerra Mundial devasta nações e altera significativamente o curso da história.

A reconstrução também afecta as ferrovias. Tal como as cidades, a necessidade de transporte, bem como as próprias locomotivas a vapor, crescem. Como resultado, a casa das máquinas adapta-se: as vigas de madeira abrem caminho para as modernas vigas de aço.

Em 1938, a Mallard da série de produção LNER-Class A4 atinge o recorde de velocidade para locomotivas a vapor, que permanece inalterado até aos dias de hoje: 201,2 km/h.

Mas antes que a humanidade conseguisse recuperar da Primeira Guerra Mundial, explode a Segunda Guerra Mundial. Os comboios da Europa são, mais uma vez, usados na guerra.

A história das locomotivas desenvolve-se de forma mais positiva noutro lugar. A PRR-Class T1 torna-se uma das mais rápidas e poderosas locomotivas a vapor do mundo em 1942.

A sul do equador, também há desenvolvimentos. As locomotivas da NSWGR-Class AD60 transportam principalmente carvão e minério através da Austrália, e em 1952 são as locomotivas a vapor mais pesadas do hemisfério sul.

Apesar de todos estes eventos, a ascensão da locomotiva torna-se imparável quando nos aproximamos da era seguinte.

4 thoughts on “O Rail Nation ao longo da História: 1ª parte

  1. “W 1938 r. Mallard z serii produkcyjnej Klasy A4 LNER ustanawia rekord prędkości parowozów niepobity do dzisiaj: 201,2 km/h.”
    Opis w miarę, ale jeśli mowa o wyglądzie lokomotywy to jak dla mnie “Osoba” moderatora na TAKIM forum już NIE PRACUJE. To nie jest żaden portal społecznościowy typu: Twitter, Facebook, itd.
    Albo DANA osoba zacznie pracować, jak nie to proponuję żeby poznała “historię kolei” jako “konserwator powierzchni płaskich” na stacji kolejowej.
    P.S. NR.1
    W takich latach to nawet o takim wyglądzie nie myśleli. (“Informatyk=znawca kolei)
    P.S. NR.2
    MYŚLIMY PRZY TYM CO ROBIMY! TO NIE FABRYKA HAFTU OZDOBNEGO!
    P.S. NR.3
    XD SAMI SOBIE ZAPRZECZACIE PRZY “DODAWANIU KOMENTARZA”
    1. Twój adres email nie zostanie opublikowany. Pola, których wypełnienie jest wymagane, są oznaczone symbolem *
    2. Pole Email jest oznaczone * !!!! Budzimy się !!!!

  2. era il 1804,Richard Trevithick, utilizzò per la prima volta una locomotiva a vapore, e la prima ferrovia pubblica fu il Stockton & Darlington Railway inaugurata nel Regno Unito nel 1825.
    mentre negli USA giusto 15 miglia circa a poco meno di 50 Km orari , combustibile carbone
    ma la prima fu : La Blücher , locomotiva primitiva, costruita nel 1814 da George Stephenson per la miniera di carbone Killingworth.
    nel complesso concordo , bravi ragazzi

Deixe uma resposta